Na véspera do Dia do Soldado, o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro comemorou o Dia do Soldado. É que em 25 de agosto, o dia seguinte, haveria as comemorações oficiais tanto no Palácio Duque de Caxias como na Vila Militar.Dispositivo pronto, aproximou-se do local da formatura o Coronel de Infantaria Luiz Cyrillo, foram-lhe prestadas as honras militares e na sequencia, o Tenente Coronel de Infantaria Marcelo Nascimento, Subcomandante, apresentou a tropa.

 

 


 

Na véspera do Dia do Soldado, o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro comemorou o Dia do Soldado.

È que em 25 de agosto, o dia seguinte, haveria as comemorações oficiais tanto no Palácio Duque de Caxias como na Vila Militar.

Dispositivo pronto, aproximou-se do local da formatura o Coronel de Infantaria Luiz Cyrillo, foram-lhe prestadas as honras militares e na sequencia, o Tenente Coronel de Infantaria Marcelo Nascimento, Subcomandante, apresentou a tropa.  

Ouvimos a leitura, pelo Comandante, da Ordem do Dia, texto alusivo ao Dia do Soldado, uma homenagem a Caxias.

 

 

Para o palanque, o Comandante convidou os Oficiais R/2 da comitiva do CNOR e da AORE/RJ, colocando a seu lado os Presidentes dessas entidades. 

 

Depois a Bandeira Nacional ocupou seu local no dispositivo para os Alunos fazerem seu juramento à Bandeira.   

Tropa perfilada, ao toque de apresentar armas, os Alunos estenderam à frente o braço direito e proferiram a famoso juramento:

“ Incorporando-me ao Exército Brasileiro, prometo cumprir rigorosamente as ordens das autoridades a que estiver subordinado, respeitar os superiores hierárquicos, tratar com afeição os irmãos de armas, e com bondade os subordinados, e dedicar-me inteiramente ao serviço da Pátria, cuja Honra, Integridade, e Instituições, defenderei com o sacrifício da própria vida. ”

 

 

 

Observe que os militares das Forças Armadas são a única profissão, digamos assim, que empenha a própria vida. Nenhuma outra profissão incorpora tal juramento!

Após o juramento, os Alunos desfilaram diante da Bandeira nacional, diante da qual, fizeram a continência individual, voltando a seu lugar em forma.

 

 

Ouvimos então as palavras do Coronel Cyrillo.

Inicialmente falou que esta formatura era bem simples face ao fato já conhecido que nosso querido CPOR/RJ, tem sistematicamente servido de Base para diversas operações como a Operação da Maré e recentemente a Segurança das Olimpíadas o que não tem tornado fácil a vida acadêmica, enfrentado – os problemas com maestria pelo novo Comandante.

Depois, já falando aos Alunos sobre Caxias, passou a um detalhamento da história que jamais me ocorrera apesar de estudioso da história militar brasileira.

E faz tanto sentido que vou aqui tentar reproduzir: - Observem que a América do Sul foi colonizada pelos ibéricos, espanhóis e portugueses.

Do lado espanhol a colonização se fragmentou a um sem número de países, todos de língua espanhola.

Do lado português, apesar do tamanho continental do Brasil, apesar das diversas guerras e revoluções, farroupilha, balaiada, pernambucana, seu território permaneceu íntegro (exceção apenas ao Uruguai, de língua espanhola, antiga Província Cisplatina) e justamente graças ao Duque de Caxias, que recebeu a alcunha de Pacificador.

Terminando a presente formatura o CPOR/RJ desfilou em continência a seu Comandante.  

 

 

 


 

 

Joomlashack